18 setembro 2016

Frases: O nome de Deus é misericórdia

Sinopse : Considerado o primeiro livro do papa Francisco, O Nome de Deus é misericórdia traz uma entrevista exclusiva concedida ao vaticanista Andrea Tornielli, na qual o pontífice explica o porquê do Ano da Misericórdia que teve inicio em 8 de dezembro de 2015. 

“A Igreja não está no mundo para condenar, mas para promover o encontro com aquele amor visceral que é a misericórdia de Deus. Para que isso aconteça, é necessário sair. Sair das igrejas e das paróquias, sair e ir à procura das pessoas onde elas se encontram, onde sofrem, onde esperam”.

O livro cujas capas em italiano, inglês, francês, alemão, espanhol e português foram escritas à mão pelo próprio papa Francisco será lançado simultaneamente no mundo todo.



***

Olá leitores ! Estou sumida mas, não esquecida de vocês, que visitam o blog! 


Trago para vocês, um pouco do livro, "O nome de Deus é misericórdia" Um dos livros mais vendidos, este ano no Brasil. O Argentino mais amado do mundo,um dos homens mais respeitados do planeta. O querido Papa Francisco. Respondendo perguntas sobre variados assuntos. Se resume em um livro, fácil de ler,esclarecedor, e que nós ajuda  a ter uma visão, social e espiritual, sobre a misericórdia de Deus. Assunto central do ano Jubilar da Misericórdia.  Selecionei alguns trechos em forma de frases. Mas, no livro também lemos alguns  lindos e comoventes relatos de Francisco, sobre, algumas pessoas que passaram pela vida e o ministério, do até então Jorge Mario Bergoglio. E que ainda hoje repercute, na memória e no coração do Papa Francisco. E que ilustra de forma prática e concreta. A importância, da misericórdia, de Deus. Que não exclui ninguém, absolutamente ninguém. Porque o nome de Deus é MISERICÓRDIA! Porque não importa em qual caminho, estamos ou por quantos atalhos errados, passamos, Deus nunca, muda o primeiro e o último plano que Ele têm para cada um de nós. Que é nós salvar, através, do perdão e da misericórdia. 



***


"A Igreja mostra seu rosto materno, seu rosto de mãe á humanidade ferida. Não espera que os feridos batam á sua porta, vai á procura deles na rua, acolhe, abraça, cuida, e faz com que se sintam amados". 




 "...a misericórdia é a carteira de indenidade do nosso Deus. Deus de misericórdia, Deus misericordioso. Para mim esta é de fato a carteira de identidade do nosso Deus". 




"A fragilidade dos tempos em que vivemos, é também esta: acreditar que não existe a possibilidade de redenção, alguém que nos dá a mão que nos levanta, um abraço que nós salva, perdoa anima, que nos inunda de amor infinito, paciente, indulgente;que nos coloca de novo nos trilhos. Precisamos de misericórdia". 



"O amor de Deus existe também para aqueles que não está em condições de receber o sacramento; também aquele homem ou aquela mulher, aquele jovem ou moça são amados por Deus, são procurados por Deus, desejosos de bênção. Sejam afetuosos com essas pessoas. Não as afastem. As pessoas sofrem". 



"Aquele que se confessa tem de se envergonhar do pecado : a vergonha é uma graça que devemos pedir, é um fator positivo, porque nos torna humildes". 



"...reconhecer-se pecador é uma graça. É uma graça que nos é dada. Sem a graça, no máximo podemos podemos dizer: sou limitado, tenho  meus limites, estes são meus erros. Mas reconhecer-se pecador é outra coisa. Significa nos colocarmos perante Deus, que é o nosso tudo, apresentando-lhe nós mesmos, ou seja, nosso nada; as nossas misérias, os nossos pecados. É realmente uma graça que se deve pedir".  



" A misericórdia é infinitamente maior do que o nosso pecado: o seu remédio é infinitamente mais poderoso do que a doença que devemos curar".  




  "Deus nos acompanha com atenção: espera que lhe abramos ao menos uma pequena fresta para que possa agir em nós com seu perdão, com sua graça. Apenas quem foi tocado, acariciado pela ternura da misericórdia, conhece verdadeiramente o Senhor". 



"Estamos perante um Deus que conhece os nossos pecados, as nossas traições, as nossas negações, a nossa miséria. No entanto, é ali que nos espera, para doar-Se totalmente a nós, para nos reerguer". 





''Nenhum pecado humano, por mais grave que seja, pode prevalecer sobre a misericórdia ou limitá-la''.





''O pecador arrependido, que depois cai e recai no pecado por causa de sua fraqueza, encontra novamente perdão, desde que se reconheça necessitado de misericórdia. O corrupto, ao contrário, é aquele que peca e não se arrepende, aquele que peca e finge ser cristão, e com sua vida dupla provoca escândalo. O corrupto não conhece a humildade, não se sente necessitado de ajuda, leva uma vida dupla...''



"O importante é se reerguer-se sempre e não ficar no chão lambendo as feridas. O Senhor da misericórdia me perdoa sempre, por isso me oferece a possibilidade de recomeçar sempre".



"...a pessoa não é definida apenas pela sua tendência sexual: não nos podemos esquecer que todos somos criaturas amadas por Deus, destinatária do seu amor infinito".




"Deus perdoa tudo, oferece uma nova possibilidade a todos, concede a sua misericórdia a todos que a pedem. Somos nós que não sabemos perdoar".



"A corrupção é o pecado que, em vez de ser reconhecido como tal e de nos tornar humildes, é transformado em sistema, torna-se um hábito mental, um modo de viver".



Por que Deus nunca se cansa de nos perdoar ?

- Porque é Deus, porque Ele é misericórdia, e porque a misericórdia é o primeiro atributo de Deus. É o nome de Deus".





"A misericórdia será sempre maior do que qualquer pecado, ninguém pode impor um limite ao amor de Deus que perdoa".




"A família é a primeira escola das crianças, é o ponto de referência imprescindível para os jovens, é o melhor lar para os idosos. Acrescento que a família também a primeira escola da misericórdia, porque ali se é amado e se aprende a amar, se é perdoado e aprende-se a perdoar".




Postado por Bia Oliveira







11 setembro 2016

O Amor e as Imperfeições

Olá queridos leitores !Uma das coisas que mais gosto de ler.  são  crônicas ou artigos. Que normalmente, abordam  assuntos do cotidiano ou de sentimentos, que são tipos de cada um de nós. Na maiorias, das vezes, ao ler um artigo,nos identificamos, e nos emocionamos. Os bons artigos e crônicas, nós descrevem, nós revelam,  e nós fazem refletir.

O assunto hoje do artigo do Gabriel Chalita postado pelo Jornal O Dia.  "O Amor e as Imperfeições" Faz uma bela reflexão sobre a família. Sobre pais implacáveis, quando se trata dos filhos serem os melhores em tudo. Mas o oposto também existe.  Pais que sabem compreender, que os filhos também erram, e que nem sempre, podem ser infalíveis. Enfim é um belo e valioso artigo, que ressalta   acima de tudo o valor do amor e compreensão os pais, diante das imperfeições e fracassos dos filhos.

 Bia Oliveira


***

Era um dia qualquer. Hora do jantar. A filha, quase adolescente, tinha os olhos marejados. Chorara solitária lamentando algum erro.
A mãe e o pai, atentos, perceberam logo. A mãe disse à filha que depois conversariam. O pai quis saber o que ocorrera. Entre eles havia diálogo. E ternura.
O irmão mais velho estava apressado. Mas guardou sua pressa e permitiu que a irmã dissesse algo. Ela não quis dizer. Pediu desculpas, mas preferia o silêncio e, se possível, ir para o quarto. O pai lhe disse que poderia ir, mas, se ela não dissesse o que estava acontecendo, ele ficaria muito triste. Ela era sua filha, o seu amor. E ele estava ali para emprestar a sua ternura, qualquer que fosse o ocorrido.
A filha chorou e, entre soluços, soltou: "Eu errei". E não conseguiu prosseguir. O pai a abraçou e emendou: "Eu também". A filha olhou para o pai e quis saber quando. O pai prosseguiu: “Hoje". Deu uma pausa e seguiu: "Ah, ontem, também". E mais um silêncio e uma troca de olhares: "E, também, antes de ontem". A filha sorriu. "Pai, estou falando sério. Tirei nota baixa. Isso nunca tinha acontecido. Fiquei nervosa. Não sei o que aconteceu. Era prova oral. Eu...". O pai interrompeu a filha e levantou o copo com suco. "Vamos brindar”. "Brindar?!", estranhou a esposa. "Brindar a imperfeição da nossa filha. Ela é como nós. Ela erra. Que bom. Ela é humana". A filha abraçou o pai, sorrindo.
Cena do cotidiano de uma família. Poderia ter tido outro desfecho. Há pais que projetam nos filhos o sucesso que não obtiveram na vida. Há pais que sonham com filhos perfeitos. Que não erram jamais. Que não demonstram nenhuma fragilidade. Que sejam heróis. Os heróis de verdade não são os que não cometem erros. Os heróis de verdade são os que se preocupam com os erros dos outros e com os próprios e que se põem a caminhar fraternalmente. Nas quedas, é bom encontrar uma mão que nos ajude a levantar e um abraço que nos ajude a perceber que não estamos sós. Nas quedas, é bom saber que a vida prossegue. E que os instantes se sucedem nos explicando que o tempo do amor tem o poder de cicatrizar a dor.
O problema da menina pode parecer simples. Uma nota baixa. Mas um vulcão de medo a tomou
desprevenida. Medo de não dar certo na vida. Medo do erro. Medo de não ser amada por isso. O pai mostrou o cenário correto. Todos nós erramos. E os erros nos humanizam! Os erros nos aproximam. Os erros nos preparam para o acerto maior. Ter um norte na vida. Um tema. Uma disposição para cuidar e ser cuidado. Amar e ser amado. Generosamente. Brindemos a família, então. A que erra. A que ama.
Por: Gabriel Chalita (fonte: O Dia) | Data: 11/09/2016.

04 setembro 2016

Santa Teresa de Calcutá.

(...) "Eu sinto que o grande destruidor da paz hoje é o aborto, porque é uma guerra contra a criança, uma matança direta de crianças inocentes, assassinadas pela própria mãe.
E se nós aceitamos que uma mãe pode matar até mesmo seu próprio filho, como é que nós podemos dizer às outras pessoas para não se matarem? Como é que nós persuadimos uma mulher a não fazer o aborto? Como sempre, nós devemos persuadi-la com amor e nós devemos nos lembrar que amor significa estar disposto a doar-se até que machuque. Jesus deu Sua vida por amor de nós. Assim, a mãe que pensa em abortar, deve ser ajudada a amar, ou seja, a doar-se até que machuque seus planos, ou seu tempo livre, para respeitar a vida de seu filho. O pai desta criança, quem quer que ele seja, deve também doar-se até que machuque.
Através do aborto, a mãe não aprende a amar, mas mata seu próprio filho para resolver seus problemas. 
E, através do aborto, diz-se ao pai que ele não tem que ter nenhuma responsabilidade pela criança que ele trouxe ao mundo. Este pai provavelmente vai colocar outras mulheres na mesma situação. Logo, o aborto apenas traz mais aborto.
Qualquer país que aceite o aborto não está ensinando o seu povo a amar, mas a usar de qualquer violência para conseguir o que se quer. É por isso que o maior destruidor do amor e da paz é o aborto.
Por favor não mate a criança. Eu quero a criança. Por favor me dê a criança. Eu estou disposta a aceitar qualquer criança que estiver para ser abortada e dar esta criança a um casal que irá amar a criança e ser amado por ela.
Só de nosso lar de crianças em Calcutá, nós salvamos mais de 3000 crianças do aborto. Estas crianças trouxeram tanto amor e alegria para seus pais adotivos e crescem tão cheias de amor e de alegria.
O aborto, que com frequência vem da contracepção, faz uma pessoa se tornar pobre espiritualmente, e esta é a pior pobreza e a mais difícil de vencer.




Fonte: arquivo particular 

Poema da paz



O dia mais belo? Hoje 
A coisa mais fácil? Equivocar-se
O obstáculo maior? O medo
O erro maior? Abandonar-se
A raiz de todos os males? O egoísmo
A distração mais bela? O trabalho
A pior derrota? O desalento
Os melhores professores? As crianças 
A primeira necessidade? Comunicar-se
O que mais faz feliz? Ser útil aos demais
O mistério maior? A morte
O pior defeito? O mau humor
A coisa mais perigosa? A mentira
O sentimento pior? O rancor 
O presente mais pelo? O perdão
O mais imprescindível? O lar 
 A estrada mais rápida  O caminho correto
 A sensação mais grata? A paz interior
O resguardo mais eficaz? O sorriso
O melhor remédio? O otimismo
A maior satisfação? O dever cumprido 
A força mais potente do mundo? A fé
As pessoas mais necessárias? Os pais 
A coisa mais bela de todas? O amor


 Santa  TERESA DE CALCUTÁ 


Fonte: arquivos