29 junho 2017

Resenha: O Vendedor de Sonhos

Olá meus queridos visitantes!


Trago para vocês minha opinião sobre o livro, que  que em dezembro do ano passado foi adaptado para o cinema, e emocionou, o país. O Vendedor de Sonhos. O romance mais vendido de Augusto Cury. Este livro foi lançado, pela primeira vez em 2011. Por conta do filme a trilogia ganhou nova edição, com a capa inspirada no longa.

E por falar em Filme... É lindo emocionante. Não decepcionou, os leitores, da trilogia. E para quem nunca leu, nenhuma obra do autor. Mas assistiu, o filme.Provavelmente, lerá algum livro ou muitos, dos belíssimos livros. Escrito pelo Dr Augusto Cury.

O vendedor de sonhos, é o tipo de livro, que nos desloca, nos tira da zona de conforto, sobre, coisas, cotidianas, que fazemos, pensamos e praticamos. Somos questionados, o tempo todo, sobre, a qualidade de vida. Como existem pessoas, ricas financeiramente, e pobres, na vida emocional.  Sobre a importância das superações e evoluções. Administrar perdas, valorizar pequenos gestos e momentos da vida. São questionamentos  desta pela obra, que também aborda o tema sobre preconceito, da sociedade, para com as pessoas que moram nas  ruas,alcoólatras,suicidas  e pessoas, que sofrem algum tipo de transtorno. Enfim o vendedor de sonhos, trás, uma pela reflexão sobre o nosso jeito de viver e conviver, em sociedade. E sobre, a vida, em família, que não são raras as vezes,em  que os filhos, têm materialmente, muitas coisas, e são pobres, do afeto e da atenção dos pais. Outra questão a ser abordada, é sobre os benefícios e os malefícios, na internet, na nossa vida. Todos esses temas são muito bem abordados, em uma história, emocionante e  viciante... depois deste têm mais dois. ( Mas podem ser lidos aleatoriamente).


Júlio Cesar  ( o suicida do edifício San Pablo)  um homem de quarenta anos, face bem torneada, sobrancelhas, fortes, pele de poucas rugas, cabelos grisalhos semilongos e bem tratados. Sua erudição, esculpida por muitos anos de instrução agora se resumia a pó. Das cinco linguás que falava, nenhuma lhe foi útil para falar consigo mesmo; nenhuma lhe dera condições de compreender o idioma de seus fantasmas interiores. Fora asfixiado por uma crise depressiva. Vivia sem sentido. Nada o encantava.  Pg 16


O Vendedor de Sonhos um homem... malvestido. trajava uma camiseta azul de mangas compridas despotada, com algumas manchas pretas. E um blazer preto amassado . Não usava gravata. A calça preta também estava amassada, dando impressão de que não via água havia uma semana. Cabelos grisalhos ao redor da orelha, um pouco compridos e despenteados. Barba relativamente longa,.. Tinha entre trinta e quarenta anos, mas aparentava mais idade. Não expressava ser uma autoridade politica nem espiritual, e muito menos intelectual. Sua figura estava mais próxima de um desprivilegiado social do que de um ícone do sistema.
(Pgs 17/180 )


Esses são os protagonistas da história. Júlio e o vendedor de sonhos. Mas tem muita gente legal e loucamente sábias e apaixonantes... para conhecer. Boquinha de mel que me arrancou muitas risadas, entre outros. Porém o tempo todos os personagens da história e nos leitores, fazemos uma pergunta que não quer calar:  quem é o vendedor de sonhos? sua origem  sua formação? Já que ele deixa um renomado, sociólogo, seu seguidor e anteriormente, um suicida de queixo caído. Por causa do conhecimento, e filosofia de vida, que este misterioso homem compartilha com seus seguidores. E a resposta é inimaginável, queridos leitores.

 Ele ajuda a cada um deles, a lidar, e encarar seus medos traumas, fobias e preconceito. Capacitando,  um a um, para vender sonhos. E reescrever a própria história.  Drama, reflexão. filosofia, alegria, mistério... O vendedor de sonhos, nós faz um grande alerta. Sobre, como estamos deixando de contemplar a vida. Para sermos escravos, das exigências intermináveis, e angustiantes, de um mundo, que está cada vez menos humano, para ser mais capitalista.




Por Bia Oliveira





   

06 junho 2017

Frases: Mulheres de Aço e Flores e Mulheres Cheias de Graça

Com contos por vezes tristes, engraçados e  outros emocionantes. Para Fábio Sempre, enaltece a figura simples das  mulheres,  no interior. que na maioria das vezes são: simples, e fortes... Nos livros #mulheresdeaçoedeflores #mulhrescheiasdegraça é impossível ler, e não identificar-se com alguma personagem. Que as vezes,também pode nos fazer lembrar de uma tia, uma vizinha, ou uma amiga. Em cada página, em cada personagem o padre retrata, de forma poética as dores, os amores e as virtudes de cada mulher, que muitas vezes, por maus-tratos, ou por ter, que levar, nos ombros, o peso, de quem em nada faz lembra a frase que diz (mulher é sexo frágil). Na verdade somos fortes feito AÇO, sendo aparentemente delicada como as FLORES. Mistura, que não se explica. mistério, admirável. Que faz de nós MULHERES CHEIAS DE GRAÇA... 
Livros de leitura leve, e bem prazerosa. Vale apena ler. 


Essas capas são da nova edição, que foram lançadas este ano pela editora Planeta. 






Mulher, ó mulher. Pudesse eu recomeçar este mundo, inventaria de criar-te primeiro, e somente depois retiraria Adão de tuas costelas. 




...não há força humana que possa socorrer um coração que sofre por ser rejeitado. 




As esperanças duram o mesmo tempo que o amor. 





O que havia era o coração descompassado, querendo pular do peito, pronto para morrer de tanto amar. 




O amor completa os espaços. Supre a carência, suplanta os temores. 




...o amor não carece de presença para existir. 



Uma vida inteira sem flores não é nada diante de uma única primavera florida! 



O que faz a diferença no mundo é o jeito com que olhamos para ele. Ando convencida de que a simplicidade são os óculos ideais para uma visão mais acertada. 





O amor nos coloca num destino único. Quando chega, fecha as portas das possibilidades. 



O amor tem o poder de dispersar a timidez. 



O tempo não perdoa os nossos medos. Melhor o ferimento e suas recordações insinuantes. 



O amor tem o poder de nos cegar para detalhes que pertencem á imprecisão. 



... O amor ainda é a forma mais aprimorada de oração. 



Não crer em Deus é uma orfandade que me afasta da fraternidade. 








A vida de um amor profilático deve ser assim. Coisas lindas contrastando as feiuras do dia, cobrindo de bordados  cheios de minúcias os avessos e suas ranhuras. Amor que recobre de brilho a estrutura opaca da existência e transforma o cotidiano da vida num acontecimento único, fato que não merece cair cair no esquecimento. 




  O amor não esgota o que ama. O amor sobrevive de saberes e não saberes. O que olho ainda não vejo. Olho com descanso de pausa, porque sei que o mistério ainda vai me sorrir. Eu espero. 




O que falo de mim é fruto do que memorizei sobre o vivido. Por isso não posso prever o futuro, para o futuro ainda sou surpresa, assim como o amado o é para o amante. Sou o passado passando, ficando misturando e congregando as frações miúdas do presente, futurando minhas causas e esperanças. 




O dicionário não é nada perto do amor que sentimos. Os termos estão todos lá, mas a vida, a verdadeira vida, está todinha aqui, neste espaço de não saber, neste espaço de só sentir, ignorante mas vivo. 





A vida é assim. O que a matéria não supre o amor ajeita. 




Elas são cheias de graça. Ou porque nos fazem rir, ou porque são sobrenaturais. 



O bom da vida geralmente não cabe nos conceitos mais elevados, mas  resguarda-se em surpresas que insistimos em não enxergar. 





O tempo de espera é o tempo da fé. Tempo em que os olhos, de vez em quando, se lançam na direção do silêncio da terra para investigar se há vestígio de broto. 




Minhas carnes não revelariam absolutamente nada do que sou. O invisível é o que me define. O que está á vista não me revela. Minha palavra não alcança o que desejo dizer sobre o que ando sentindo. 





Postado por Bia Oliveira 


05 junho 2017

Frases: Como se dar bem com quem você quer bem






Sinopse: Você já esteve com várias pessoas ao seu redor, mas ao mesmo tempo já se sentiu só? A solidão é um dos assuntos que você irá encontrar nesta obra, além de temas que fazem parte do dia a dia dos relacionamentos, seja entre amigos, um casal ou pais e filhos. “Como se dar bem com quem você quer bem” é uma obra para que você possa encontrar, em cada página, os meios para descobrir amizades verdadeiras, criar relacionamentos sólidos e vibrantes, bem como fazer que sua ligação com as pessoas torne-se melhor dia após dia.Ao pôr em prática essas indicações, você vai constatar, de imediato, resultados surpreendentes. Portanto, não se espante quando perceber suas amizades se multiplicarem, seu namoro transformar-se em algo promissor ou seu casamento converter-se numa relação mais segura e feliz. Qualquer que seja sua situação atual, você poderá transformar sua convivência com as pessoas por meio de uma atitude mais sábia e corajosa. “Aprender é mudar posturas.” Com as informações e atitudes corretas você conseguirá curar relacionamentos feridos, melhorar os difíceis, aprofundar os mais importantes, reconstruir os arruinados e criar novos laços de ternura e confiança.Márcio Mendes é autor de outros doze títulos e conta com mais de um milhão de livros vendidos no Brasil. Suas obras foram traduzidas para o espanhol, francês, croata e esloveno. Atua como apresentador dos programas “Sorrindo pra Vida” (espiritualidade) e “Papo Aberto” (entrevistas), que são transmitidos pela rádio e televisão Canção Nova. Desde 1989, Márcio trabalha a promoção humana e a espiritualidade como meios eficazes para se conseguir uma vida mais saudável e feliz.

Olá leitores! Acho que depois desta sinopse/resenha. Não resta muito o que falar sobre o livro. Mas posso resumi-lo  em uma palavra. ''Necessário" este livro é necessário na coleção de quem ama livros espirituais/religiosos.  






Aceitar a pessoa como ela é


Aceitar uma pessoa como ela é não é fazer vistas grossas para seus erros nem fingir que seus defeitos não existem. É dar a ela um lugar em seu coração. É acolhê-la com amor sem impor como condição que ela mude primeiro para que isso aconteça. É algo simples de se fazer desde que se tenha paciência.


A vida avança devagar e com simplicidade. Mudanças chocantes, conversões radicais, felicidades eletrizantes e arrebatadoras na vida são poucas. Mas as pequenas vitórias e as alegrias humildes nos visitam todos os dias.



Aceitar os outros nada tem a ver com ser ingênuo. Tem a ver com acreditar no bem que há nas pessoas, esperar e confiar que elas vão se tornar alguém melhor, entender que cada um tem um ritmo e uma compreensão diferente da vida. Aceitar é perdoar, é dar uma nova chance, é procurar ver além das aparências e acreditar num indivíduo quando ele mesmo não consegue acreditar em si próprio. Isso sim tem um grande poder de transformação.


Demonstre amor



Uma pessoa pode esquecer suas palavras, mas nunca esquecerá como você a tratou no momento em que mais precisava de seu amor. Quer a tenha tratado bem, quer tenha tratado mal, isso vai ficar gravado no íntimo de sua alma para sempre. Os chineses têm um ditado a esse respeito: "Ame-me quando eu menos merecer, pois é quando eu mais preciso".



É o que você faz com bondade e ternura que comove a alma do outro. Basta persistir em fazer o bem, pois não há coração com porta tão velha e emperrada que não possa ser aberta pelo amor.


O amor é a verdadeira força que conquista e, quando preciso, reconquista.



Um dos maiores consolos desta vida é ter a quem confiar um segredo


Quem não confia em ninguém, mesmo estando acompanhado, continua sozinho. E é inútil buscar alívio em qualquer canto que não seja no coração sincero de um amigo de verdade. Somente um companheiro bom e fiel pode nos tomar pela mão e nos conduzir para fora deste túnel escuro.



A alegria que você compartilha com um amigo é multiplicada por dois, enquanto a dor compartilhada é dividida ao meio. Mas também nisso é preciso ser prudente.



Assim como trevas e luz não existem juntas num mesmo lugar, a solidão e confiança também não podem existir juntas no mesmo coração. Uma delas morre no exato momento em que a outra nasce. Simples assim: acendeu a confiança apagou-se a solidão.


... os maus não atraem amigos, atraem comparsas; os libertinos têm companheiros de farra; os negociantes têm sócios; os políticos têm simpatizantes; a maioria das pessoas contenta-se em ter colegas; os chefes têm subalternos e, muitas vezes, bajuladores, mas só as pessoas de bem possuem amigos.



Apender a amar


Apender a amar é o caminho mais seguro e mais certeiro para se dar bem com todos. Jamais deveríamos tratar qualquer pessoa sem amor. Podemos ser frios e indiferentes ao nos envolver com coisas - derrubar uma parede, martelar um prego, serrar um cano - mas não podemos fazer isso com pessoas.



Quem ama presta atenção ao que faz o outro feliz, porque amar é aprender a cuidar do essencial sem esquecer os detalhes. É fácil prestar atenção no que é óbvio. Ser compreensivo diante de grandes sofrimentos até as pessoas mais insensíveis conseguem. Mas se você quer se tornar único, marcante, especial, dê atenção também ás pequenas coisas, valorize os pequenos gestos de carinho e tente compreender mesmo as mais simples necessidades dos outros.



Uma pequena atitude pode iluminar o dia de alguém que se sente só.



Escolha ficar com o que é bom

Há pessoas que estão sempre procurando o mal mesmo onde tudo é bom; e não descansam enquanto não descobrem um erro, um defeito ou pelo menos uma suspeita para alimentarem suas conversas maldosas. Outras pessoas têm o dom de descobrir tesouros de amor e generosidade onde abundam fracassos, maldades e pecado.



Falar bem de quem está ausente é uma maneira sábia de mostrar que você tem bom caráter e se tornou querido daqueles que estão presentes. Há gente que faz o contrário: sempre arruma alguma coisa de que fala mal. Elogiam pela frente e criticam pelas costas. Bajulam os que estão presentes e destroem a reputação dos que não estão ali. Mas uma pessoa esperta sabe que quem fala mal dos outros com você, fala mal de você para com os outros.


Melhor modo de persuadir uma pessoa



O amor não é o melhor caminho para lidar com as pessoas, é o único. Portanto, é sempre uma pena quando alguém escolhe a violência como meio para alcançar o que quer.



Dizem que, com ternura e bondade, você pode puxar um elefante com um fio de cabelo. Com carinho e paciência, você obtém das pessoas o que jamais conseguiria pela força bruta.



Não ser vulgar




Nunca pareça mais instruído do que as pessoas que o cercam. Use sua cultura como um relógio de bolso que você mantém escondido . Não o puxe a todo instante para ver as horas, mas diga que horas são quando lhe perguntarem.


Não ser maçante



Quer se dar bem com as pessoas? Então, use seu coração para lidar com elas, nunca suas posses ou sua posição social.





Considerações
Ufa! deram para ver que quotes bons não faltam deste livro não é mesmo? Depois eu postarei uma segunda publicação, com outros quotes. Mas deu para perceber, a partir destes trechos selecionados, que este livro, não é para você dar de presente, aquela pessoa, com quem você vive em conflito. Mas é para você, que por muitas vezes, se sente vitima dela. Neste livro contém histórias, que nos ajuda a refletir. E ver que nem sempre somos vitimas. E que diante da nossa postura podemos mudar, a forma de lidar com as situações conflitantes. . Existe um ditado que diz: Ninguém, muda ninguém" Sendo assim quem tem que mudar, é quem, tem consciência. De que as coisas não devem continuar como estão.
Certa vez li uma frase que diz: Os defeitos do outro não são um veneno para mim. Mas é a partir deles que Deus quer me fazer melhor.
Claro que isso não é fácil, mas é a partir do primeiro passo, que se começa uma grande jornada. Pense disso...
Espero que tenham gostado do post. Bjs

Bia Oliveira.