02 agosto 2017

Frases : Outros Jeitos de Usar A Boca

Sinopse:


outros jeitos de usar a boca' é um livro de poemas sobre a sobrevivência. Sobre a experiência de violência, o abuso, o amor, a perda e a feminilidade. O volume é dividido em quatro partes, e cada uma delas serve a um propósito diferente. Lida com um tipo diferente de dor. Cura uma mágoa diferente. Outros jeitos de usar a boca transporta o leitor por uma jornada pelos momentos mais amargos da vida e encontra uma maneira de tirar delicadeza deles. Publicado inicialmente de forma independente por Rupi Kaur, poeta, artista plástica e performer canadense nascida na Índia – e que também assina as ilustrações presentes neste volume –, o livro se tornou o maior fenômeno do gênero nos últimos anos nos Estados Unidos, com mais de 1 milhão de exemplares vendidos.


                                                                            *******
Sabe o ditado que diz: " Não julgue o livro, pela capa" 
Quem ler o titulo deste livro, poucos imaginam que ele é um delicioso livro de poemas. Eu li em poucas horas, mas o efeito, das lindas poesias, vão durar alguns dias. Sabe quando a gente saboreia um livro??? Assim foi " Outros jeitos de usar a boca" O livro aborda temas delicados, como: Violência, abuso sexual... Também sobre família, amor e feminilidade. Tudo de forma delicada e poética. Os poemas as vezes se resumem em apenas, uma única frase, que nos diz tudo. As ilustrações encanta os olhos, assim como as poesias encantaram o coração. 


A dor  

ela era uma rosa
mas quem a pegou na mão
não tinha intenção

de guardá-la

   


toda vez que você
diz para sua filha
que grita com ela
por amor
você a ensina a confundir
raiva com carinho
o que parece uma boa ideia
até que ela cresce
confiando em homens violentos
porque eles são tão parecidos
com você

- aos pais que têm filhas





sexo exige o consentimento dos dois
se uma pessoa está ali deitada sem fazer nada
porque não está pronta
ou não está no clima
ou simplesmente não quer
e mesmo assim a outra está fazendo sexo
com seu corpo isso não é amor

isso é estupro

não há no mundo ilusão maior
que a noção de que uma mulher vá
trazer desonra a um lar
caso tente proteger seu coração

e seu corpo



tentar me convencer
de que tenho permissão
para ocupar espaço
é como escrever com
o punho esquerdo
quando nasci
para usar meu direito

- a ideia de encolher é hereditária





o problema de ter
um pai alcoólatra
é que um pai alcoólatra
não existe
simplesmente
um alcoólatra
que não conseguiria ficar sóbrio
tempo o suficiente para criar os filhos.



O amor 

quando minha mãe estava grávida
do segundo filho eu tinha quatro anos
apontei para sua barriga inchada sem saber como
minha mãe tinha ficado tão grande em tão pouco tempo
meu pai me ergueu com braços de tronco de árvore e
disse que nesta terra a coisa mais próxima de deus
é o corpo de uma mulher é de onde a vida vem
e ouvir um homem adulto dizer algo
tão poderoso com tão pouca idade
fez com que eu visse o universo inteiro

repousando aos pés da minha mãe



 tenho tanta dificuldade
de entender
como alguém
pode derramar sua alma
sangue e energia
em alguém
sem pedir
nada em
troca
- tenho que esperar até ser mãe


o que eu sou pra você ele pergunta
eu coloco as mãos em seu peito
e sussurro você
é toda esperança
que eu já tive
na forma humana


você é a linha tênue
entre ter fé e
esperar às cegas

- carta ao meu futuro amante

ele tocou
meu pensamento
antes de chegar
à minha cintura
meu quadril
ou minha boca
ele não disse que eu era
bonita de primeira
ele disse que eu era
extraordinária
- como ele me toca

não quero ter você
para preencher minhas partes vazias
quero ser plena sozinha
quero ser tão completa
que poderia iluminar a cidade
e só aí
quero ter você
porque nós dois juntos

botamos fogo em tudo



o amor vai chegar
e quando o amor chegar
o amor vai te abraçar
o amor vai dizer o seu nome
e você vai derreter
só que às vezes
o amor vai te machucar mas
o amor nunca faz por mal
o amor não faz jogo
porque o amor sabe que a vida


já é difícil o bastante



eu estaria mentindo se dissesse
que você me deixa sem palavras
a verdade é que você deixa minha
língua tão fraca que ela esquece

a linguagem que fala


você pode não ter sido meu primeiro amor
mas foi o amor que tornou
todos os outros amores
irrelevantes




preciso de alguém
que conheça a dificuldade
tão bem quanto eu
alguém
disposto a colocar minhas pernas no colo
nos dias em que é muito difícil ficar em pé
o tipo de pessoa que ofereça
exatamente o que eu preciso
antes que eu saiba que preciso
o tipo de amante que me ouça
mesmo quando não falo
esse é o tipo de compreensão
que eu exijo

- o tipo de amante de que eu preciso

A ruptura 


quando minha mãe diz que mereço coisa melhor
eu te defendo por força do hábito
ele ainda me ama eu grito
ela olha para mim com olhos derrotados
do jeito que os pais olham para os filhos
quando sabem que esse é o tipo de mágoa
que nem eles conseguem mudar
e diz
pra mim esse amor não significa nada

se ele não faz merda nenhuma com isso



ele só sussurra eu te amo
quando desliza a mão
para abrir o botão
da sua calça
é aí que você tem
que entender a diferença
entre querer e precisar
você pode querer esse menino
mas você com toda a certeza

não precisa dele







você sussurra
eu te amo
o que significa é
não quero que me abandone


eu não fui embora porque
eu deixei de te amar
eu fui embora porque quanto mais
eu ficava menos

eu me amava

eu tive que ir embora
eu estava cansada
de deixar que você
me fizesse me sentir
qualquer coisa
menos que inteira


eu era música

mas suas orelhas tinham sido cortadas


não vou deixar que você
me arrume um lugar na sua vida
quando
o que eu quero é
arrumar uma vida com você
- a diferença


nenhum de nós está feliz
mas nenhum de nós quer desistir
então continuamos nos machucando

e chamando isso de amor


ele não vai mais voltar
sussurrou minha cabeça
ele precisa voltar
soluçou meu coração
- murchando


você não pode cair fora
e ficar comigo
não posso existir em
dois lugares ao mesmo tempo

- quando você pergunta se ainda podemos ser amigos


A cura 


não se dê ao trabalho de agarrar
aquilo que não te quer

- você não pode obrigar ninguém a ficar




você precisa começar um relacionamento
consigo mesma

antes de mais ninguém


aceite que você merece mais
do que amor doloroso
a vida nos move
a decisão mais justa
com o seu coração

é se mover junto



a solidão é um sinal de que você está 
precisando desesperadamente de si mesma


não procure cura
aos pés daqueles
que te machucaram


talvez as pessoas mais tristes
sejam as que vivem esperando
por alguém que nem sabem
se existe

- 7 bilhões de pessoas

caia
de amores
por sua solidão



Alguém me segure!!!! Foi difícil parar já deu para perceber né? Mais se você chegou até o fim foi porque assim como eu, amou as frases. Beijos até a próxima  

Por Bia Oliveira 


18 julho 2017

Resenha: A garota que você deixou para trás

Sinopse:
Jojo Moyes apresenta a comovente história de duas jovens separadas por quase um século no tempo,mas juntas em sua determinação de lutar por aquilo que amam - custe o que custar. Tecido com habilidade, A Garota que Você Deixou para Trás alterna momentos tristes e alegres, sem descuidar dos meandros das grandes histórias de amor e da delicadeza dos finais felizes.

Durante a Primeira Guerra Mundial, o jovem pintor francês Édouard Lefèvre é obrigado a se separar de sua esposa, Sophie, para lutar no front. Vivendo com os irmãos e os sobrinhos em sua pequena cidade natal, agora ocupada pelos soldados alemães, Sophie apega-se às lembranças do marido admirando um retrato seu pintado por Édouard. Quando o quadro chama a atenção do novo comandante alemão, Sophie arrisca tudo - a família, a reputação e a vida - na esperança de rever Édouard, agora prisioneiro de guerra. 

Quase um século depois, na Londres dos anos 2000, a jovem viúva Liv Halston mora sozinha numa moderna casa com paredes de vidro. Ocupando lugar de destaque, um retrato de uma bela jovem, presente do seu marido pouco antes de sua morte prematura, a mantém ligada ao passado. Quando Liv finalmente parece disposta a voltar à vida, um encontro inesperado vai revelar o verdadeiro valor daquela pintura e sua tumultuada trajetória. Ao mergulhar na história da garota do quadro, Liv vê, mais uma vez, sua própria vida virar de cabeça para baixo.


Em A garota que você deixou para trás, duas jovens separadas por quase um século estão juntas em sua determinação de lutar por aquilo que amam-custe o que custar. 



...a questão crucial da fé é que ela precisa ser testada.



Olá leitores! É com está bela frase que inicio. a resenha sobre: A garota que você deixou para trás.

Está frase é dita por Sophie. A protagonista da história. 
Sempre admirei na escrita da Jojo, a diversidade, dela. Para mim cada livro dela é único, com emoções diferentes e assuntos destintos e por ai vai... Porém "A garota que você deixou para trás. Me lembrou muito dois  livros dela o meu  preferido (até agora).  A última carta de amor".  E também o "Depois de você". 

Primeiro me lembrou o livro "A última carta de amor". Porque contém a mesma temática. Em "A última carta de amor'" Uma jornalista encontra uma antiga carta de amor, e investiga, sobre o emissor e sobre o destinatário, da carta. Desvendando,uma linda história de amor. De décadas passadas.
Liv ganhou do esposo, na lua de mel, um lindo, quadro, onde uma linda mulher, está retratada, na tela. Anos depois, os descendentes, do artista que pintou, o quadro, entram na justiça,para reaver o mesmo. Alegando que o quadro foi roubado, pelos alemães, na segunda guerra Mundial, quando  o artista tinha ido para o front O quadro em questão, vale no mercado das artes, uma fortuna. Mas para Liv, tem o valor afetivo, imensurável. É para ela, o melhor presente que ela já ganhou, do falecido esposo. Na tentativa de obter provas de que  adquiriu,o quadro por meios legais, e que por isso ela deve permanecer, com ele. Liv desvenda, detalhes inimagináveis e surpreendente   da  linda história de amor. Entre 
 Édouard Lefèvre e Sophie. 

O livro também me lembrou o "Depois de Você" 
Por conta  da personagem Liv. Ela perdeu de forma repentina o marido. E vive todo o processo, de luto e recomeço, semelhante a inesquecível Lou. 



A primeira parte do livro, conhecemos Shophie. Uma mulher forte, e apaixona pelo marido Édouard Lefèvre. Que está no front. Sophie, mesmo sofrendo as penúrias, decorrente na guerra, não perde a esperança de encontrar o marido. E essa esperança, a faz, agir de forma digamos "irresponsável"  ou "egoísta" tudo depende do ponto  de vista particular de cada leitor. Sophie tem como companheira, e amiga a irmã Héléne. Héléne têm os  pés no chão. E o coração cheio de saudades do esposo que também está no front. Mais centrada, ela é a grande conselheira de Shophie. Ela mais do que ninguém entende, as razões, da irmã, que tanto deseja encontrar o marido. Mas não concordar, com a arriscada estrategia, que a irmã decide tomar, na tentativa de encontrar o marido,pondo em arrisco a própria reputação e a segurança da família.

A primeira parte do livro, me envolveu, completamente. amei, Shophie, a odiei também. Mas minha preferida foi Héléne. Um personagem doce, e forte. 



Na  segunda parte da história conhecemos Liv. Uma jovem, que está sofrendo pela perda prematura, do esposo.Ela mora sozinha Na conhecida casa de vidro, uma casa mega moderna. cujo os impostos ela não consegue, pagar.  Após um longo tempo, longe dos amigos, e sem vida social, ela se dá uma chance, e sai com os amigos. Durante o jantar ela se sente totalmente desconfortável, em um papo nada promissor com um verdadeiro mala, que está ao lado dela. Mas nem tudo está perdido nesta noite ela reencontra uma amiga, que há muito tempo,não via  Mo, é uma moça livre sem amarras, que vive intensamente. Que é louquinha, mais boa gente.Que ajudou a velha amiga a se livrar, do mala. Mo e Liv. Começa uma nova história de amizade e cumplicidade, essa dupla nós fará dá boas risadas.  


Quem já leu algum livro da Jojo deve ter reparado que em dado momento. A história fica parada, sem sentido, parece que nada irá se encaixar. Dá vontade de arremessar o livro longe. Isso já aconteceu comigo quando, esta lendo "A última Carta de Amor" e agora enquanto estava lendo "A garota... Mas  movida pela positividade e pela experiência  do livro.( A última Carta de Amor) que ela me surpreendeu, do final. Não abandonei a leitura e prossegui. 



Liv esta cada dia mais enrolada com as dividas. Sai de casa para pegar dinheiro emprestado no banco, e para aliviar. Resolve tomar algo. Ela evita bares, movimentados, não quer ser paquerada por ninguém. Então resolver entra em um bar gay. E tomar um pileque para relaxar. É neste bar que Liv conhece Paul. Irmão do proprietário do bar.  Um policial aposentado, divorciado e pai de um garoto muito legal.


Ele se encantou pela bela moça. Que ao ter a bolsa, roubada no bar perde a chave de casa, e o dinheiro, para pagar os impostos atrasados. Ela não tendo condições  de voltar para casa.Devido o baita pileque. E com intenção de ajudar-la a encontrar a bolsa. Poul convida Liv para dormir na sua casa . Entre Liv e Poul. E um possível romance. Está o quandro em titulado "A garota que você deixou para trás"


E ai a história, nos pega para valer. Romance, disputa judicial, mistérios desvendados...
Enquanto Liv se deixa envolver pela história de Shophie. Por sua vez. Poul está dividido, entre exercer o trabalho de advogado ou obedecer ao coração. O mesmo gentil Poul  que se apaixonou, pela Liv é o mesmo excelente advogado, que foi contratado  pelos Lefèvre. Para tomar posse do quadro, que segundo eles foram roubado durante a guerra. 


Volto a dizer. Eu achei que  este livro seria a primeira decepção, literária que iria ter com a escrita, da Jojo Moyes. Mas foi o contrário, me surpreendi, positivamente, com está história. Que parece deixar para trás,  no decorrer, da leitura muitas pontas soltas. Mas de forma genial, no final, Jojo arremata, tudo que ficou, para trás. Deixando os leitores de queixo caído.
Valeu a pena superar as partes chatas, para se emocionar e se surpreender com os finais (Isso mesmo) os finais, deste lindo romance.


Chaw até a próxima resenha !!!!

Bia Oliveira 

29 junho 2017

Resenha: O Vendedor de Sonhos

Olá meus queridos visitantes!


Trago para vocês minha opinião sobre o livro, que  que em dezembro do ano passado foi adaptado para o cinema, e emocionou, o país. O Vendedor de Sonhos. O romance mais vendido de Augusto Cury. Este livro foi lançado, pela primeira vez em 2011. Por conta do filme a trilogia ganhou nova edição, com a capa inspirada no longa.

E por falar em Filme... É lindo emocionante. Não decepcionou, os leitores, da trilogia. E para quem nunca leu, nenhuma obra do autor. Mas assistiu, o filme.Provavelmente, lerá algum livro ou muitos, dos belíssimos livros. Escrito pelo Dr Augusto Cury.

O vendedor de sonhos, é o tipo de livro, que nos desloca, nos tira da zona de conforto, sobre, coisas, cotidianas, que fazemos, pensamos e praticamos. Somos questionados, o tempo todo, sobre, a qualidade de vida. Como existem pessoas, ricas financeiramente, e pobres, na vida emocional.  Sobre a importância das superações e evoluções. Administrar perdas, valorizar pequenos gestos e momentos da vida. São questionamentos  desta pela obra, que também aborda o tema sobre preconceito, da sociedade, para com as pessoas que moram nas  ruas,alcoólatras,suicidas  e pessoas, que sofrem algum tipo de transtorno. Enfim o vendedor de sonhos, trás, uma pela reflexão sobre o nosso jeito de viver e conviver, em sociedade. E sobre, a vida, em família, que não são raras as vezes,em  que os filhos, têm materialmente, muitas coisas, e são pobres, do afeto e da atenção dos pais. Outra questão a ser abordada, é sobre os benefícios e os malefícios, na internet, na nossa vida. Todos esses temas são muito bem abordados, em uma história, emocionante e  viciante... depois deste têm mais dois. ( Mas podem ser lidos aleatoriamente).


Júlio Cesar  ( o suicida do edifício San Pablo)  um homem de quarenta anos, face bem torneada, sobrancelhas, fortes, pele de poucas rugas, cabelos grisalhos semilongos e bem tratados. Sua erudição, esculpida por muitos anos de instrução agora se resumia a pó. Das cinco linguás que falava, nenhuma lhe foi útil para falar consigo mesmo; nenhuma lhe dera condições de compreender o idioma de seus fantasmas interiores. Fora asfixiado por uma crise depressiva. Vivia sem sentido. Nada o encantava.  Pg 16


O Vendedor de Sonhos um homem... malvestido. trajava uma camiseta azul de mangas compridas despotada, com algumas manchas pretas. E um blazer preto amassado . Não usava gravata. A calça preta também estava amassada, dando impressão de que não via água havia uma semana. Cabelos grisalhos ao redor da orelha, um pouco compridos e despenteados. Barba relativamente longa,.. Tinha entre trinta e quarenta anos, mas aparentava mais idade. Não expressava ser uma autoridade politica nem espiritual, e muito menos intelectual. Sua figura estava mais próxima de um desprivilegiado social do que de um ícone do sistema.
(Pgs 17/180 )


Esses são os protagonistas da história. Júlio e o vendedor de sonhos. Mas tem muita gente legal e loucamente sábias e apaixonantes... para conhecer. Boquinha de mel que me arrancou muitas risadas, entre outros. Porém o tempo todos os personagens da história e nos leitores, fazemos uma pergunta que não quer calar:  quem é o vendedor de sonhos? sua origem  sua formação? Já que ele deixa um renomado, sociólogo, seu seguidor e anteriormente, um suicida de queixo caído. Por causa do conhecimento, e filosofia de vida, que este misterioso homem compartilha com seus seguidores. E a resposta é inimaginável, queridos leitores.

 Ele ajuda a cada um deles, a lidar, e encarar seus medos traumas, fobias e preconceito. Capacitando,  um a um, para vender sonhos. E reescrever a própria história.  Drama, reflexão. filosofia, alegria, mistério... O vendedor de sonhos, nós faz um grande alerta. Sobre, como estamos deixando de contemplar a vida. Para sermos escravos, das exigências intermináveis, e angustiantes, de um mundo, que está cada vez menos humano, para ser mais capitalista.




Por Bia Oliveira





   

06 junho 2017

Frases: Mulheres de Aço e Flores e Mulheres Cheias de Graça

Com contos por vezes tristes, engraçados e  outros emocionantes. Para Fábio Sempre, enaltece a figura simples das  mulheres,  no interior. que na maioria das vezes são: simples, e fortes... Nos livros #mulheresdeaçoedeflores #mulhrescheiasdegraça é impossível ler, e não identificar-se com alguma personagem. Que as vezes,também pode nos fazer lembrar de uma tia, uma vizinha, ou uma amiga. Em cada página, em cada personagem o padre retrata, de forma poética as dores, os amores e as virtudes de cada mulher, que muitas vezes, por maus-tratos, ou por ter, que levar, nos ombros, o peso, de quem em nada faz lembra a frase que diz (mulher é sexo frágil). Na verdade somos fortes feito AÇO, sendo aparentemente delicada como as FLORES. Mistura, que não se explica. mistério, admirável. Que faz de nós MULHERES CHEIAS DE GRAÇA... 
Livros de leitura leve, e bem prazerosa. Vale apena ler. 


Essas capas são da nova edição, que foram lançadas este ano pela editora Planeta. 






Mulher, ó mulher. Pudesse eu recomeçar este mundo, inventaria de criar-te primeiro, e somente depois retiraria Adão de tuas costelas. 




...não há força humana que possa socorrer um coração que sofre por ser rejeitado. 




As esperanças duram o mesmo tempo que o amor. 





O que havia era o coração descompassado, querendo pular do peito, pronto para morrer de tanto amar. 




O amor completa os espaços. Supre a carência, suplanta os temores. 




...o amor não carece de presença para existir. 



Uma vida inteira sem flores não é nada diante de uma única primavera florida! 



O que faz a diferença no mundo é o jeito com que olhamos para ele. Ando convencida de que a simplicidade são os óculos ideais para uma visão mais acertada. 





O amor nos coloca num destino único. Quando chega, fecha as portas das possibilidades. 



O amor tem o poder de dispersar a timidez. 



O tempo não perdoa os nossos medos. Melhor o ferimento e suas recordações insinuantes. 



O amor tem o poder de nos cegar para detalhes que pertencem á imprecisão. 



... O amor ainda é a forma mais aprimorada de oração. 



Não crer em Deus é uma orfandade que me afasta da fraternidade. 








A vida de um amor profilático deve ser assim. Coisas lindas contrastando as feiuras do dia, cobrindo de bordados  cheios de minúcias os avessos e suas ranhuras. Amor que recobre de brilho a estrutura opaca da existência e transforma o cotidiano da vida num acontecimento único, fato que não merece cair cair no esquecimento. 




  O amor não esgota o que ama. O amor sobrevive de saberes e não saberes. O que olho ainda não vejo. Olho com descanso de pausa, porque sei que o mistério ainda vai me sorrir. Eu espero. 




O que falo de mim é fruto do que memorizei sobre o vivido. Por isso não posso prever o futuro, para o futuro ainda sou surpresa, assim como o amado o é para o amante. Sou o passado passando, ficando misturando e congregando as frações miúdas do presente, futurando minhas causas e esperanças. 




O dicionário não é nada perto do amor que sentimos. Os termos estão todos lá, mas a vida, a verdadeira vida, está todinha aqui, neste espaço de não saber, neste espaço de só sentir, ignorante mas vivo. 





A vida é assim. O que a matéria não supre o amor ajeita. 




Elas são cheias de graça. Ou porque nos fazem rir, ou porque são sobrenaturais. 



O bom da vida geralmente não cabe nos conceitos mais elevados, mas  resguarda-se em surpresas que insistimos em não enxergar. 





O tempo de espera é o tempo da fé. Tempo em que os olhos, de vez em quando, se lançam na direção do silêncio da terra para investigar se há vestígio de broto. 




Minhas carnes não revelariam absolutamente nada do que sou. O invisível é o que me define. O que está á vista não me revela. Minha palavra não alcança o que desejo dizer sobre o que ando sentindo. 





Postado por Bia Oliveira